Na tarde dessa segunda-feira (25) a equipe do Diário Prime tomou conhecimento de algumas queixas que o PROCON de Alegrete está apurando contra a RGE. Esta, que é a concessionária de energia elétrica, vem sendo duramente criticada pelos consumidores por possíveis abusos na cobrança da energia elétrica. Revoltadas com os acontecimentos recentes as pessoas recorreram ao PROCON. E este convidou os diretores da RGE para prestarem esclarecimentos sobre os fatos narrados.

A queixa dos consumidores veio após a concessionária decidir que faria a leitura do consumo pela média aritmética dos últimos doze meses. Ou seja, não haveria mais a leitura física. A RGE encaminharia o talão de energia para cada consumidor calculado pela média de consumo do doze meses anteriores. Entretanto, houve uma insatisfação geral com a medida devido à forma como as coisas foram feitas. Os consumidores de Alegrete se sentiram lesados e estão à busca dos seus direitos. Entenda.

Conforme previsto na decisão da RGE, os valores das últimas doze contas de energia foram utilizadas para calcular o valor devido no mês atual. No entanto, as pessoas perceberam que todos os valores estavam incorporados na média aritmética, inclusive o das bandeiras tarifárias. Por isso tiveram forte reação contrária e exigem a correção desses valores. O que os consumidores pretendem é pagar somente a média do que efetivamente utilizaram no período. Nesse caso, deveriam ser excluídas todas as demais cobranças.

O PROCON de Alegrete pede aos consumidores que se sintam lesados para procurar o órgão

Para dar corpo ao procedimento e apresentar dados à diretoria da RGE, o PROCON de Alegrete pede que os consumidores procurem o órgão e registrem uma reclamação. Contudo, essa solicitação se dirige somente aos que se sintam lesados pela cobrança. Essa atitude é de suma importância para o PROCON porque é o que trará elementos para que se faça uma solicitação firme à empresa. Pois caso as pessoas não o façam, pode ser mais difícil conduzir uma negociação com a mesma.

É claro que há a possibilidade de se mover uma ação na justiça para reparar os danos, mas um acordo seria menos desgastante para todos. Por isso é importante que todos analisem suas contas e procurem o PROCON para fazer a reclamação. Essa é a maneira mais coerente de fazer valer os próprios direitos.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here